Dieta saudável para mulheres diminui em 30% o risco de surdez

Pode parecer uma relação improvável, mas o que você come influencia a qualidade de sua audição. Um novo estudo, publicado no periódico Journal of Nutrition, descobriu que mulheres com uma alimentação saudável têm 30% menos risco de ficarem surdas. A pesquisa foi feita com mais de 70 mil mulheres e durou 22 anos.

Os cientistas examinaram a relação entre três diferentes dietas (Mediterrânea, DASH e a AHEI-2010) e o risco de desenvolver perda auditiva. Nos resultados, a ligação entre o que as participantes comiam e a saúde de seus ouvidos realmente existia. "Curiosamente, observamos que aquelas que seguem uma dieta saudável têm um menor risco de perda auditiva moderada ou grave", diz Sharon Curhan, principal autora do estudo. "Comer bem contribui para uma boa saúde em geral e também pode ser útil para reduzir o risco de perda auditiva."

Os pesquisadores coletaram informações detalhadas sobre a ingestão alimentar a cada quatro anos e descobriram que as mulheres cujas dietas mais se assemelhavam aos padrões alimentares da dieta mediterrânea ou DASH (Dieta para barrar a hipertensão, em livre tradução) tinham um risco 30% menor de perda auditiva.

Além disso, os achados em mais de 33.000 mulheres sugerem que a magnitude do risco reduzido pode ser ainda maior que 30% entre as que fazem uso de uma dieta chamada AHEI-2010 (Alimentação Saudável Alternativa, em livre tradução).

Os tipos de dietas

A DASH é muito rica em frutas (quatro a cinco porções, ou seja, o que caba na sua mão, diariamente). As frutas vermelhas, como a romã, são as mais indicadas para consumo por serem ricas em antioxidantes, capazes de bloquear o estresse oxidativo e, assim, evitar a alteração do diâmetro dos vasos sanguíneos. Já a recomendação de verduras e os legumes também é de quatro a cinco vezes ao dia na dieta. Além disso, a dieta DASH preconiza o consumo de três porções de oleaginosas por semana. Ela ainda indica o consumo de carnes magras (duas porções por dia) e leites e derivados (duas a três porções por dia).

A dieta mediterrânea já é conhecida e envolve uma ingestão elevada de frutas e vegetais, grãos, batatas, azeite e sementes; ingestão de peixe moderadamente alta; baixo consumo de gordura saturada, leite e carne vermelha; e consumo de regular a moderada de vinho tinto.

Já a AHEI-2010 é baseada em um consumo elevado de vegetais, frutas, cereais integrais, nozes e legumes, gorduras ômega-3 e ácidos graxos, ingestão moderada de álcool e pouquíssimo consumo de bebidas adoçadas com açúcar, carne vermelha e processada, gordura trans e sódio.

Fonte: Uol Notícias