O ronco é causado pela vibração das estruturas posteriores da garganta.

Pode causar transtornos sociais e familiares como a necessidade de dormir em quartos separados devido ao barulho.

Também pode estar associado à apneia, que é a interrupção da respiração durante o sono.

Para quem observa a pessoa durante a apneia tem-se a impressão de engasgos repetidos ou afogamento.

A apneia provoca fragmentação e superficialização do sono sem que a pessoa acorde por completo e, desta forma, prejudica a qualidade do sono, que deixa de ser reparador e de boa qualidade.

 

Os principais sintomas da apneia são:

  1. Sonolência excessiva durante o dia;
  2. Despertares frequentes durante à noite;
  3. Diminuição da memória, concentração e atenção;
  4. Sono não reparador;
  5. Alteração de humor;
  6. Irritabilidade;
  7. Fadiga.

Pacientes com apneia podem apresentar maior propensão a acidentes de trânsito e trabalho e maiores chances de desenvolver doenças cardiovasculares.

Diversos fatores podem originar ou agravar o ronco e a apneia, entre eles aumento das conchas nasais, aumento da adenoide e/ou amígdalas, polipos nasais, desvio septo e alergias.

 

Principais tratamentos para o ronco:

  1. CPAP (máscara noturna);
  2. Aparelho Intra Oral;
  3. Avanço Maxilo Mandibular;
  4. Septoplastia;
  5. Amigdalectomia;
  6. Uvulopalatofaringoplastia (cirurgia do ronco).

O tratamento deve ser orientado de acordo com as características anatômicas individuais e a severidade da apneia/ronco de cada paciente.

Você pode se interessar por: